Mãos de uma mulher utilizando calendário de desktop para planejar uma festa de casamento.
  • 04 junho, 2019
  • Por Bruna Gonçalves
  • Educação Financeira

“Sim” sem dor de cabeça. Planeje sua festa de casamento com economia

Lista de convidados, decoração, buffet, roupas e lembranças são alguns dos muitos itens para organizar uma festa de casamento. Afinal, este é um momento único e exige dedicação de quem opta por viver ao lado de outra pessoa.

E o investimento não parece ser um problema, já que o setor cresce de forma acentuada no Brasil. O Instituto Data Popular e a Abrafesta (Associação Brasileira de Eventos Sociais) indicam 25% de aumento em 2017.

Em média, são 3.000 casamentos realizados por dia. O que, ao final de 2018, totalizava a cifra de 17 bilhões de reais em eventos sociais. Porém, o que é sonho de um casal pode ser supérfluo para outro e vice-versa, além de os desejos terem de se adequar à realidade.

Mas não se preocupe, a fim de auxiliar nesta missão e fazê-la ser feliz do início ao fim, fizemos este post para ajudar no planejamento. Veja como fazer uma comemoração simples e sem prejuízos financeiros aos noivos nos próximos tópicos!

A pesquisa é essencial

Se estamos falando de não gastar muito, nada melhor do que pesquisar antes de fechar contrato com prestadores de serviços. Ainda mais se não tiver familiaridade sobre os custos envolvidos numa cerimônia de casamento. Vale pedir indicações para amigos e parentes que casaram!

Assim, comece com uma lista do que será necessário comprar e contratar. Abaixo estão itens comuns da festa de casamento:

  • espaço para recepção e festa;

  • número de convidados;

  • decorações e lembranças;

  • convites;

  • aluguel do carro;

  • roupa do noivo;

  • vestido de noiva;

  • fotografia, vídeo e música.

O objetivo é adequar todos os pontos com o orçamento disponível, evitando dores de cabeça antes mesmo do casamento começar!

Anteceda o seu planejamento

É interessante definir uma data para o início dos preparativos e, a partir dela, estabelecer afazeres mensais a serem cumpridos. Para tanto, o ideal é começar um ano antes da data marcada, para conseguir os melhores preços nas contratações.

Considerar gastos que são consequência da união, como moradia e viagem de lua de mel, também é imprescindível. Tais definições auxiliam a quantificar o real valor destinado a cada parte do ato casar. Afinal, o tempo de férias do trabalho e o destino da viagem afetam diretamente o orçamento disponível.

Porte da festa

Nem sempre o casal consegue convidar todas as pessoas que desejam. Por isso, a primeira tomada de decisão é sobre a lista de convidados. Levantar o número de pessoas possibilita os passos seguintes, como orçar buffets e as opções de serviço da festa de casamento.

Conforme o valor apresentado pelos fornecedores, não é incomum a necessidade de realizar cortes de convidados. Assim, por mais dolorido que seja, veja esta decisão como uma ação responsável consigo mesmo e não uma desconsideração com as pessoas.

Limite de gastos

Segundo a pesquisa divulgada pela Revista Exame, o brasileiro gasta, em média, R$ 40 mil na cerimônia. E o preocupante não é o valor, mas o fato de que metade dos brasileiros gastam mais do que podem.

Portanto, para não cair no mesmo problema, é possível adotar algumas precauções ao cortar ou diminuir gastos com convites, lembranças e buffet. Abaixo temos algumas ideias de como alcançar esse feito na prática.

Gastos diários x gastos com a festa de casamento

Se conciliar o orçamento da festa com o orçamento do cotidiano é um problema, a alternativa é separar tais gastos. Para tanto, é interessante o casal abrir uma conta corrente somente para gastos diários e outra para gastos com a cerimônia.

Dentro disso, estabelecer um valor para pagar despesas do casamento e outro para as pessoais. Desta forma, os noivos terão perspectiva real das finanças, a fim de não serem surpreendidos posteriormente.

Há também mais alternativas de usar o dinheiro de forma consciente, fazendo-o render. Casais que pensam em realizar a união a médio prazo podem aplicar o dinheiro em fundos de investimento ou CDBs. Os que têm plano a longo prazo, tem como optar pela previdência privada ou pelos títulos do tesouro são boas alternativas.

Contenha gastos

Outra ação que traz bons resultados para o orçamento da festa de casamento é fazer cortes. Para eliminar gastos desnecessários é possível mudar alguns hábitos, temporariamente, e criar outros, a favor do casamento. Veja exemplos:

  • passeios: trocar a saidinha para bares, restaurantes lanchonetes por passeios alternativos e mais baratos;

  • controle: anotar todo gasto, para ser possível avaliar o que é ou não, realmente, importante.

Faça você mesmo (a)

A criatividade pode surgir como uma grande alternativa para quem não quer encher o orçamento. Ao invés de gastar para ser produzido, você pode colocar a mão na massa e criar seus itens de casamento. Itens como lembrancinhas, o topo do bolo, decoração e buquê ganham até mais sentido ao serem feitos pelos envolvidos.

Promoções e descontos

E se a ideia é casar sem gastos exagerados, é fundamental procurar empresas que ofereçam promoções e descontos. Todo prestador de serviço tem um preço mínimo até onde ele pode chegar e muitos possuem descontos prontos.

Isso varia, principalmente, conforme antecedência e tipo de pagamento (à vista ou parcelado). Ao se apresentar ao fornecedor, informe a ele a data e o local do casamento, e conte também um pouco da história de vocês.

Portanto, utilize as dicas que trouxemos para conseguir levantar a maior quantia possível e, com isso, aumentar seu poder de negociação.

E como chegou até aqui, assine nossa newsletter para receber mais conteúdos de como fazer as melhores escolhas com o seu dinheiro após sua festa de casamento!

Bruna Gonçalves

Bruna Gonçalves

Jornalista, especialista em Comunicação e Marketing da Zetra, e atua na gestão de projetos corporativos e na elaboração de estratégias de marketing empresarial.

Newsletter

Mais popular

CTA
^